segunda-feira, 4 de março de 2013

MELANCIAS - APODI-RN


HISTÓRICO
O Padre Noberto Madeira Barros era dono das terras onde hoje está encravada a Vila de Melancias, nas margens da estrada Apodi a comunidade de Itaú, hoje a BR 405, Mossoró a Sousa-PB. Padre Barros vendeu parte de suas terra a SEBASTIÃO GOMES DE OLIVEIRA, que considerado o fundador da comunidade de Melancias, o qual foi responsável pela educação do povoado, tendo em vista que ele mantinha em sua residência uma escola particular, do qual a primeira professora foi dona ANTONIA FILGUEIRA, isso no ano de 1910. Além de dona Antonia Filgueira, Tatão de Paulino trouxe um professor de natal de nome JOÃO BATISTA NORONHA, por isso mesmo que a escola estadual da Villa tem seu nome como patrono.

ORIGEM
 – Padre Barros certo ano plantou uma grande quantidade de melancias. Daí as pessoas começaram a chamar o povoado de Melancias, e assim surgiu a denominação.

AS PRIMEIRAS CASAS

1º - PAULINO casado com JOSEFINA
2ª – CHICO CARRASCO
3ª - PADRE NOBERTO MADEIRA BARROS

Padre Noberto Madeira Barros, nascido a 19 de maio de 1851. Foi pároco da Paróquia de Apodi. Era grande proprietário no município de Apodi, mas precisamente na região onde hoje está situada a comunidade de MELANCIAS. Conviveu, inicialmente maritalmente e posteriormente casou-se com sua escrava chamada INÁCIA, e tiveram os seguintes filhos: MARIA URSULA, THEODORICO, EVARISTO e ISABEL. Padre Barros recebeu conselhos de da à alforria a escrava Inácia para que os filhos não fossem nativos. Ele chegou a comprar outra escrava, sendo que essa era branca e vendeu logo por nativo. A venda foi motivada devido a ciúmes da primeira escrava negra. Padre Barros deu liberdade a sua família depois da sancionamento da Lei Áurea. Inácia depois que ficou viúva ainda teve duas filhas: JOANA que ficou solteira e FRANCISCA que se casou com João Simão
Em 1919 surgiu o primeiro comerciante na comunidade de Melancias. Chico Flor veio do Amazonas, trazendo muito dinheiro que ganhou na extração da borracha. Entregou boa parte desse dinheiro a pessoa de JOÃO PAULINHO. Este estava amolando um facão para cortar macambira, daí Chico Flor disse: “JOÃO PAULINHO A partir daquele instante não era mais cortador de macambira e sim, ia ser comerciante.
Em 1939 teve início as aulas na então Escola Rural de Melancias, criada pelo Decreto nº 269 de 24 de junho de 1937, posteriormente, em 1º de outubro de 1959 passou a ser Escola ISOLADA. E Pelo decreto nº atual escola Estadual SEBASTIÃO GOMES DE OLIVEIRA, que teve como primeira professora a senhora JUSTINA FLORÊNCIO

Sem comentários:

Enviar um comentário

Acerca de mim

A minha foto
SOU TRICOLOR DE CORAÇÃO, BARAÚNAS, O MAIS QUERIDO DE MOSSORÓ